Novembro 21, 2014

recado aos pais

Haz con tus propias manos
La cuna de tu hijo, 
Que tu mujer te vea 
Cortar el paraíso 
Para colgar del techo 
Como en los tiempos idos 
Que volverán un día 
Hazla como te digo. 
Trabajarás de noche, 
Que se oiga tu martillo, 
“Está haciendo la cuna” 
Que diga tu vecino, 
Alguna vez la sangre 
Te manchará el anillo, 
Que tu mujer la enjugue 
Que manche su vestido. 
Las noches serán blancas 
De columpiado pino
Harás según el árbol
La cuna de tu niño
Para que tenga el sueño En su oquedad de nido, 
Para que tenga el ángel 
En un oculto grillo. 
La obra será tuya,
Verás que no es lo mismo,
Será como tus brazos 
La cuna de tu hijo, 
Se mecerá con aire 
Te acordarás del pino, 
Dirás duerme en mi cuna 
Verás que no es lo mismo.

Poema: José Pedroni 
Música: Damián Sánchez
Vozes:Julián Prados, Omar Hueda, Eduardo Valerdi, Luis Raúl Facello
 

Novembro 12, 2014

dialog


"Dialog" is thirteen-piece image sequence by Rudolf Bonvie, 1973.

Novembro 03, 2014

as bruxas malvadas fazem bem aos meninos












Este título é perfeito, sim, Rita : ) 
( para o texto da nossa bela conversa sobre bruxas e outros escuros nos livros para crianças com a Rita Pimenta, do jornal Público. Grata pelo espaço de qualidade que continuas a persistentemente dedicar à literatura infantil ).

img. Maurizio A. C. Quarello para o livro da OQO, "A Bruxa Arreganhadentes".

Outubro 29, 2014

raízes (?)

Outros que não eu teriam falado de ‘raízes’… Não emprego esse vocabulário. Não gosto de ‘raízes’ e da imagem ainda menos. As raízes enfiam-se na terra, contorcem-se na lama, crescem nas trevas, mantêm a árvore cativa desde o seu nascimento e alimentam-na graças a uma chantagem. ‘Se te libertas, morres!’ As árvores têm de se resignar, precisam das suas raízes; os homens não. Respiramos a luz, cobiçamos o céu e quando nos metemos na terra é para a apodrecer. (…)

Amin Maalouf, Origens.
img. Dora Maar 

Agradeço à Nádia Sacoor esta referência, num belo encontro nosso, ontem.

Outubro 27, 2014

peixe lua


"Para onde vai tudo aquilo que imaginamos ? Voa para trás dos Frigoríficos
Encaixa-se atrás de um tijolo Solto
Enfia-se Misteriosamente dentro de uma garrafa Vazia
É levado pelo Vento até ao cais e apanha Boleia de um navio cruzeiro
Descansa dentro dos relógios dos Avós
Passeia dentro dos Livros de receitas culinárias Agarra-se às copas das árvores no Outono
Para onde quer que vá, há uma coisa espantosa que acontece.
As coisas que imaginamos juntam-se magneticamente às coisas que os outros imaginam
e vão–se unindo devagar, formando uma bola imensa que rebola pelo mundo e fica a
boiar na superfície dos oceanos, onde conversa longamente com o único ser que a
entende, com a sua linguagem estranha e sonhadora…"
O Peixe Lua.

Um espectáculo que explora música vocal de diversas épocas e geografias, desde um fragmento
de um coro grego da Oresteia de Eurípides a peças de música contemporânea, passando
por temas tradicionais ou por uma polifonia francesa do séc. XVIII.
Uma expedição por recantos do mundo onde podemos observar o céu e quase tocar a
Lua mas sempre em busca de algo, de um ser fantástico e fascinante que pode estar
muito perto ou pode mesmo ser um sítio dentro de nós.
“PEIXE LUA” avança no tempo e no espaço como um ritual atemporal, um canto
universal, uma constelação tão familiar quanto bizarra…

De e com interpretação de Carla Galvão e Fernando Mota, um sensibilissimo espectáculo (para antes e muito depois dos 6 anos indicados).
Queremos que volte outra vez, para repetir o mergulho e levarmos connosco quem não o viu.

Outubro 21, 2014

não há descanso sem amor














não há descanso 
sem amor,
não há sono 
sem sonhos 
de amor
loucos ou indiferentes que sejamos
obcecados com anjos 
ou máquinas,
o derradeiro desejo 
é amor
(...)

Os corpos quentes 
brilham juntos 
no escuro,
move-se a mão 
para o centro 
da carne,
treme a pele 
de felicidade
e vem-se a alma 
exuberante aos olhos
sim, sim, 
era isso 
que eu queria,
que eu sempre quis ,
eu sempre quis,
regressar
ao corpo onde eu nasci.

"Canção" in O uivo e outros poemas de Allen Ginsberg
numa brilhante tradução de Margarida Vale de Gato para a edição Relógio D'Água.
img. colette saint yves

Setembro 22, 2014

Pós-Graduação em Livro Infantil: edição 2014 / 2015

 
Outras informações académicas e contactos encontram-se no site da Universidade Católica.

Agosto 24, 2014

eu andarilho, nós andarilhamos, tu...

http://palavrasandarilhas.wordpress.com/programa-e-oficinas-pa-2014/ A Cristina conseguiu !
Este Agosto volta a ser das palavras que andam, que correm, que voam e nos levam em romaria encantada até Beja.
Um programa imenso para viver, porque é disso que por ali se trata: celebra-se o modo de estar dos que não sobrevivem sem histórias. Ali se encontram, trocam-nas e multiplicam. Uma espécie de seita onde nos descobrimos todos, porque irresistível é o apelo da matéria de que somos feitos: palavras, corpo, gesto. Quem vai, fica para sempre.

Vamos?
Eu vou, claro.

http://palavrasandarilhas.wordpress.com/2014/08/14/quem-e-quem-22/
Ps. Sobre o festival deste ano, fala a Cristina Taquelim ao Público neste belo artigo acabado de sair.

Agosto 19, 2014

reticências

Arrumar a vida, pôr prateleiras na vontade e na acção.
Quero fazer isto agora, como sempre quis, com o mesmo resultado;
Mas que bom ter o propósito claro, firme só na clareza, de fazer qualquer coisa!
Vou fazer as malas para o Definitivo,
Organizar Álvaro de Campos,
E amanhã ficar na mesma coisa que antes de ontem — um antes de ontem que é sempre...
Sorrio do conhecimento antecipado da coisa-nenhuma que serei.
Sorrio ao menos; sempre é alguma coisa o sorrir...
Produtos românticos, nós todos...
E se não fôssemos produtos românticos, se calhar não seríamos nada.
Assim se faz a literatura...
Santos Deuses, assim até se faz a vida!
Os outros também são românticos,
Os outros também não realizam nada, e são ricos e pobres,
Os outros também levam a vida a olhar para as malas a arrumar,
Os outros também dormem ao lado dos papéis meio compostos,
Os outros também são eu.
(...)

Álvaro de Campos
































img. Galileo ("desenhos da lua")

Julho 24, 2014

Dicionário de Literatura Infantil e Juvenil














Calhou-me a letra E ( ou não fosse por E que começa o nome dela, mas isso é outra história : ) .
Esta é uma entrada do dicionário em construção que a revista Blimunda vem editando mensalmente. Cada letra é "ilustrada" com palavras por dois convidados. Meu companheiro de E foi o António Mota (podem ver aqui).
Vejam também todas as outras entradas, nos outros números, e tudo o resto nestas revistas, no topo do melhor que se faz em Portugal sobre literatura. São oferecidas online pela Fundação Saramago, com o design soberbo da Silva Designers. Parabéns à Andreia Brites e à Sara Figueiredo Costa, que a escrevem.

Junho 25, 2014

18º Prémio Nacional de Ilustração

Foi hoje atríbuido o Prémio Nacional de Ilustração referente às obras publicadas em Portugal no ano de 2013. Venceu António Jorge Gonçalves. As duas menções honrosas foram para João Fazenda e Yara Kono. Muitos parabéns aos três. Foi uma honra fazer parte deste Júri, juntamente com Pedro Saraiva e Maria Carlos Loureiro, representante da DGLAB, organismo oficial responsável por este Prémio.
( A informação oficial pode ser lida aqui. ) 

Junho 18, 2014

the extraordinary will take care of itself

Do not ask your children
to strive for extraordinary lives. 
Such striving may seem admirable,  
but it is a way of foolishness.  
Help them instead to find the wonder
and the marvel of an ordinary life.  
Show them the joy of tasting
tomatoes, apples, and pears.
Show them how to cry  
when pets and people die.  
Show them the infinite pleasure
in the touch of a hand.
And make the ordinary come alive for them.
The extraordinary will take care of itself.
William Martin, The Parent’s Tao Te Ching: Ancient Advice for Modern Parents.
img. Nikki Mcclure 
( obrigada à Carla, através de quem conheci este texto )

Junho 11, 2014

female cloth and other tools



Robes, 2014 (video still)


The Basket, 2014 (video still)



Wet Rag, 2012

In Thai-Australian artist Kawita Vatanajyankur’s three videos The Basket, The Robes and Wet Rag, the artist is both symbolically and literally the material making the work—she is the rag that another woman uses to wash the floor, the wet clothing that is caught in a washing basket, and the fabric that hangs over a line, drying in the breeze (...) Vatanajyankur reframes the way craft and fabric-based production have historically been associated with women’s domesticity and considered a lesser form of creativity than the ‘fine arts’ of sculpture and painting.  ( Stills Gallery )

Soaked, 2012

Poured, 2013

"My series of video work and performance focuses on the female body and its relationship to different elements and everyday objects within various spaces and environments. The experimentations are developed to look at the action and reaction of the body, the transformation of the shape and form of the body that is pressured to merged within the objects and elements until it is changed into a sculpture when affected physically from the elements and objects. The work aims to examine the psychological, corporeal and cultural ways of viewing the human condition. The certain symbols contained in the video are used to reflect the idea of violence, endurance, communication as well as gender."
Kawita Vatanajyankur

Maio 29, 2014

to my email subscribers

Have you noticed that you are not receiving my posts by email anymore? 
Yes, unfortunately, due to a feedburner problem, the previous list isn't working lately. From today on, please, resubscribe by entering your email again, using the space provided on the right. Thank you so much and apologies for any inconvenience.

Maio 27, 2014

osmo

Um belo interface entre o real e o digital. Para brincar:
Mais informações, aqui.

Maio 17, 2014

o rapaz que não se tinha quieto

“Gosto de viajar. Mas sou um miúdo pequeno, e os meus pais dizem que os gaiatos não se fizeram para andar por aí a passarinhar como se fossem andorinhas; ou saltimbancos, ou acrobatas, ou arlequins, polichinelos. (...) Mas não sou nenhum artista, nem de circo nem de coisa nenhuma: não passo de um catraio miúdo que gosta de viajar, mas que não sai do mesmo sítio.”

um livro profundo e brilhante sobre a viagem de se querer ser gente . é um privilégio apresentá-lo.

Abril 25, 2014

40 anos

Esta é a madrugada que eu esperava/O dia inicial inteiro e limpo/Onde emergimos da noite e do silêncio/E livres habitamos a substância do tempo...
(Sophia + Brian Wildsmith)

Abril 23, 2014

23 de Abril





























"La intensidad es propia de la literatura y nos permite diferenciarla de todos los otros modos utilitarios de la palabra. En ella las palabras dejan de ser funcionales, se “olvidan” de ser útiles, se ponen a hacer “otra cosa”, como hacen “otra cosa” los gestos en el teatro o los sonidos en la música y el conjunto genera entonces una fuerza mucho más potente que la suma de palabras que lo constituyen, alcanzando un resultado que aprovecha de un modo misterioso las cualidades de cada una de las piezas que lo componen. Por eso cada buen texto es un pequeño triunfo sobre lo oscuro, sobre lo plano, lo literal, lo cerrado, lo puramente racional y lo unívoco. Escribir nos enseña que el lenguaje es más grande que nosotros". Maria Teresa Andruetto

Abril 20, 2014

guess the references?




























Great homage to children's books authors by Catarina Sobral for this weekend's 
"Atual" cover.

Abril 19, 2014

Abril 10, 2014

one (or more) special app

Uma aplicação extraordinária, justamente premiada em Bolonha no "Apple for Bologna Ragazzi Digital Award" na categoria non-fiction:

Pierre et le Loup
"A wonderful new adaptation of the masterpiece of classical music for children: Peter and the Wolf by Sergueï Prokofiev. A 30-minutes film combined with exclusive footages and 9 playful and poetic musical activities. With the complicity of musicians from the National Orchestra of France, conducted by maestro Daniele Gatti, give life to the characters, become the composer, mix the instruments, travel in the orchestra at 360 degrees..."

Outras pela mesma equipa, anteriores, com conceitos semelhantes: 

"Le Carnaval des Animaux is a magical book which takes children into the heart of Camille Saint-Saens’s musical masterpiece.

 Page after page, you will discover Saint-Saens’s musical universe with various games and activities, and more than 100 minutes of film extracts starring  the Philharmonic Orchestra of Radio France, directed by the maestro Myung-Whun Chung."


"Les saisons d'Antoine" introduces your child to the masterpiece of Antonio Vivaldi through a lively and musical book. Find in this app the 4 Seasons of Antoine Pierre Richard and the musicians from the Concerto Italiano directed by Alessandro Alessandrini and all the characters of the animated film broadcasted on France 3. 
One app full of humor and poetry that mixes in a wonderful way scenes of the film and fun activities for the whole family."

Abril 02, 2014

there is no such thing as children's literature *


"I don´t write for children. I write - and somebody says: that's for children. Maurice Sendak

*Jack Zipes in Sticks and stones: the troublesome success of children's literature.

Março 15, 2014

by roger mcgough

Fevereiro 10, 2014

the voice


 Edvard Munch

Janeiro 23, 2014

par(t)ir



















III

A injustiça de se ser mãe
está na caridade absurda
:
fazer nascer o filho que é o nosso
e

imediatamente dá-lo,
  à luz
e
ao mundo

IV

A verdadeira dor no parto
é sentir partir
:
par(t)ir
é já um pouco
abandonar

rita taborda duarte in «A Estranha Casa de Um Outro», Asa, 2005
 
imgs. nikki mcclure